Mestrado: o que e como fazer?

Percebendo o drama vivido por mim e por muitos colegas de faculdade, antes e durante a pós, venho apresentar algumas informações sobre essa etapa da vida acadêmica de todo pesquisador. Fazer uma pós-graduação, seja ela qual for, é fazer Ciência. Mestres e Doutores são aqueles que dedicam seu tempo, até mesmo suas vidas, no desenvolvimento de novas tecnologias, novas teorias e testam novas aplicações para os métodos tradicionais.  Venho contar a minha experiência no Mestrado em Letras Vernáculas na UFRJ.

Há algum tempo, ter concluído o ensino primário (atual Ensino Fundamental I – até o 4º ano) era suficiente para se conseguir um emprego. Algum tempo depois, passou a ser importante ter o ginásio (atual Ensino Fundamental II – até o 9º ano). Com o aumento da escolarização da população, nem mesmo o segundo grau (atual Ensino Médio) foi suficiente. Cada vez mais estamos sendo cobrados sobre a faculdade, o mestrado, doutorado… falta pouco para começar a moda do pós-doc.

Diferença entre Mestrado e Pós-graduação

A pós-graduação é dividida em Lato sensu e Stricto sensu. Vejamos em quais modalidades podem ser divididos esses tipos de Pós.

  • Lato sensu: Expressão latina que significa, literalmente, “em sentido amplo”. No Brasil é conhecida como especialização; é um curso em que não se faz aprofundamentos como no mestrado e no doutorado. A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) é a responsável pelos cursos de pós-graduação e os regulamenta.
  • Stricto sensu: Expressão latina que significa, literalmente, “em sentido específico”. É aqui que se delimitam quais pontos daquela área do Saber serão abordados, e são poucos os pontos abordados em relação ao todo do assunto. Há dois tipos de títulos para a modalidade Stricto sensu: Mestrado e Doutorado.

Qual a diferença?

Há dois tipos de títulos para a modalidade lato sensu: Aperfeiçoamento e Especialização.  Ao final do curso de Aperfeiçoamento, exige-se apenas uma avaliação final, ao passo que no curso de Especialização é feito um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), trabalho acadêmico de caráter obrigatório e instrumento de avaliação final de um curso superior.

As pós-graduações lato sensu compreendem programas de especialização e incluem os cursos designados como MBA (Master Business Administration). A carga-horária mínima deve ser de 360 horas. É concedido ao aluno, ao final do curso, um certificado e não diploma.

O Mestrado objetiva a formação aprofundada do discente, preparar professores para lecionar em instituições de ensino superior, faculdades ou universidades e promover atividades de pesquisa. Ao final do período de dois a dois anos e meio, é feita sua defesa um trabalho acadêmico conhecido como Dissertação com um apanhado de tudo que foi relevante para a pesquisa, sejam eles: os pressupostos teóricos, a metodologia empregada e os resultados obtidos. Faz-se uma defesa, assim como é feito com o TCC, e é concedido o título de Mestre.

O Doutorado, ou doutoramento (português europeu), é um grau acadêmico concedido por uma instituição de ensino superior, que pode ser uma universidade, um centro universitário ou uma faculdade isolada. Nesse momento espera-se que o aluno adquira capacidade de trabalho independente e criativo. Tal capacidade deve ser demonstrada pela criação de um novo conhecimento e publicações em revistas científicas, congressos, ou pela obtenção de patentes. Faz-se uma defesa da Tese, assim como é feito com TCC e Dissertação, e é concedido o título de Doutor.

Como ingressar no Mestrado?

Inscrevi-me no Programa de Pós-Graduação(PPG) em Letras Vernáculas na área de Língua Portuguesa. No site da Pós, há várias opções de linhas de pesquisa e projetos à disposição dos candidatos. É comum a divulgação da bibliografia utilizada nos processos seletivos. Costuma-se restringir o acesso a depender da área de graduação do candidato, por exemplo, dificilmente um bacharel/licenciado em Letras será aceito num PPG de Matemática, não que ele não tenha capacidade, mas mais por questões burocráticas. O processo seletivo é dividido em três etapas: Prova de Conhecimentos Específicos, Proficiência em Língua estrangeira e Arguição do Anteprojeto.

  1. Prova de Conhecimentos Específicos: Testa nível de conhecimento do candidato em uma determinada área.
  2. Proficiência em Língua estrangeira: As que sempre constam nos processos seletivos são: Inglês, Espanhol e Francês, mas também é comum ter Alemão e Italiano, além de outras como Árabe, Hebraico, Japonês e Russo para PPG em Letras Orientais na USP. A prova de língua estrangeira visa a avaliar a capacidade de o candidato poder compreender um texto em língua estrangeira, não é costume das faculdades aceitarem a repetição do idioma no acesso ao doutorado; se escolher inglês no mestrado, terá que escolher outra para o doutorado. É comum ter, também, uma prova de proficiência em Língua Portuguesa para candidatos não lusófonos.
  3. Arguição do Anteprojeto: É cada vez mais comum a exigência de um anteprojeto de pesquisa. Sabe-se que os pesquisadores podem mudar o foco da pesquisa durante os estudos, mas o PPG precisa saber se a pesquisa é viável, se é relevante a abordagem feita e se o candidato está preparado para esse passo acadêmico.

Dito tudo isso, agora direi como foi a minha experiência.

Como foi a preparação para o Mestrado

Durante um ano, li os livros indicados na bibliografia base. Isso foi muito importante na hora de fazer a prova. Enquanto estudava a bibliografia do processo seletivo, em paralelo, fui montando e lapidando meu Projeto de Pesquisa. Conversei muito com uma professora do PPG, hoje minha orientadora, sobre quais seriam os melhores livros para servir de base do projeto, o que valia a pena considerar inicialmente e o que pode ser melhor aproveitado no doutorado. Nós nos encontrávamos para discutir a redação do projeto. Isso demanda tempo e ajuda a criar um vínculo com o professor e futuro orientador. Mesmo que ele não possa te orientar, com certeza ele conhece alguém que trabalhe na sua linha de pesquisa. Durante a arguição do seu projeto, tudo o que escrevi foi posto em xeque. Duas doutoras avaliaram os pontos mais vulneráveis da proposta. Recebi muitas sugestões para abordagem do tema.

Como foram as pesquisas?

A pesquisa foi sendo aperfeiçoada ao longo dos anos. Todos os cursos feitos serviram para mostrar o que deveria e poderia ser feito, ou não. Li muitos autores brasileiros e estrangeiros. Meu anteprojeto estava muito abrangente, assim, fiz um recorte para poder dar conta do tema ainda nesta vida. Apresentei minha dissertação a dois doutores de instituições externas e obtive a aprovação.

Então o que eu preciso fazer?

Vamos revisar o que vimos até agora:

  1. Verificar se a Instituição de Ensino Superior tem PPG stricto sensu na sua área de interesse;
  2.  Identificar o Programa, a Linha de Pesquisa e a Área de Concentração pretendidos;
  3.  Montar um Projeto de Pesquisa compatível e sondar um professor para obter orientações a respeito do projeto;
  4.  Estudar a bibliografia informada no Edital do concurso e no site do PPG pretendido, muitas das vezes não há alterações drásticas de um ano para outro, mas fique atento a possíveis alterações;
  5. Verificar com antecedência toda documentação exigida e se o projeto está formatado como consta no Edital. Você pode ter o pedido indeferido por ter esquecido o comprovante de votação ou por ter esquecido de contemplar algum item obrigatório no projeto;
  6. Ter tranquilidade na prova de Conhecimento Específico e tentar conciliar a bibliografia base com livros relacionados. Nomes de autores, de obras, citações (da forma correta) são demonstrações de domínio da matéria;
  7.  Levar um bom dicionário para a prova de Língua Estrangeira;
  8.  Não copie o projeto de ninguém. Aproveitar uma proposta é razoável, mas copiar o trabalho alheio é plágio. Tenha certeza de que a banca saberá que você copiou, e na hora da arguição, seus conhecimentos serão testados;
  9. Tenha tranquilidade durante a arguição e esteja aberto a ideias, mas mantenha-se na sua proposta. Durante a pesquisa, o projeto pode ser adequado às necessidade que se mostrarem;
  10. Estude bastante;
  11. Estude bastante;
  12. Estude bastante, e quando achar que já estudou o suficiente, estude mais. Isso não é ENEM, é mais importante do que isso.

Deixe uma resposta