Vocativo sem complicações

Vocativo é um termo que não possui relação sintática com outro termo da oração, não é nem sujeito nem predicado nem nada. Só serve para chamar alguém.

Não grite, Carlos.

Senhoras e senhores, por favor deem uma salva de palmas para o nosso anfitrião.

Pai, afasta de mim esse cálice” (Cálice – Chico Buarque)

Nessas orações, os termos destacados indicam e nomeiam o interlocutor a quem se dirige a palavra e só. Pode ser antecedido por interjeições de apelo, por exemplo: ó, olá, eh!, etc.

“Fulguras, ó Brasil, florão da América”

Olá gente bonita, tudo bem?

Eh! Gente, temos que estudar mais.

Vocativo: análise sintática

Os termos que se enquadram no vocativo são parecidos com o Sujeito, quando se fala de Concordância Verbal. Eu disse parecido, isso é diferente de igual… Sujeito é o ente que se pode dizer sobre, muitas vezes é aquele que faz uma ação ou experimenta sensações. O Vocativo não faz nem experimenta nada e, diferentemente do Sujeito, há necessidade de vírgulas destacando-o do restante da frase. Caso não haja vírgulas, o termo em questão será entendido como agente da ação. Também é diferente do Aposto, pois este mantém relação sintática e semântica com outro termo da oração. Também não há uma Oração Subordinada Substantiva Vocativa.

Achei uma discussão sobre a frase hipotética: Quem estiver me ouvindo, por favor, silêncio, o diretor quer falar.

Seria essa frase uma Oração Subordinada Substantiva Vocativa ou uma Oração Subordinada Adjetiva (Relativa Livre) com função vocativa? Confiram lo link abaixo.

 Clique para saber mais sobre Análise Sintática

Deixe uma resposta