Língua Morta e Língua Viva

Muita gente reclama de pessoas que utilizam a língua, o idioma, diferente do que é Normal (no sentido de norma). Alguns puristas alegam que estão “matando o Português”, mas será que eles realmente sabem o que é uma língua morta? Ver escrito “Te amo” é um uso condenado pela Gramática Tradicional, mas pouca gente reclama. Para essas pessoas que acham que a Língua Portuguesa vai morrer, vamos ver as diferenças entre Língua Morta e Língua Viva.

O que é Língua?

O iDicionário Aulete registra o seguinte, Língua – “Sistema de comunicação e expressão verbal de um povo, nação, país etc., que permite aos usuários expressar pensamentos, desejos e emoções; IDIOMA”. Por isso música, matemática, dança, tipos de programação (C#, Java, PHP, etc.) são linguagens, mas LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), LGP (Língua Gestual Portuguesa), LAS(Língua Angolana de Sinais), LMS (Língua Moçambicana de Sinais), ASL (American Sign Language), BSL (British Sign Language) são línguas stricto sensu.

O que é Língua Morta?

Toda língua é um produto social, por isso mesmo, está em constante modificação. Mas para que ela tenha vida, precisa de usuários que manipulem seu léxico de forma espontânea, e que este dê conta da realidade. Caso não haja mais pessoas que utilizem determinada língua, esta morre. Simples assim…

Como uma língua morre?

Quando não há mais falantes daquela língua. Pois é, nesse grupo de línguas mortas temos: Latim, Grego antigo e o Hebraico bíblico.

Não há mais falantes que utilizem essas três línguas citadas no seu dia a dia. Ainda que haja estudos bíblicos sobre os textos latinos, gregos e hebraicos, mesmo que as narrativas latinas do século I a. C. ainda sejam estudadas, não há uso corrente das mesmas.

Língua Morta e Língua Extinta

Há um diferença muito tênue entre morte e extinção de uma língua. Acádio, Fenício, Sânscrito, línguas Maia, Etrusco, entre outras podem ser consideradas extintas. Um dos processos de extinção de uma língua se dá por meio de substituição de uma pela outra, seja forçadamente, como é o caso da colonização, ou por meios “pacíficos”, como a adoção de uma dada língua por motivações culturais, como a substituição da língua goda pelo latim e sua manutenção promovida pelos visigodos na península ibérica, dando origem, posteriormente, ao português.

Recomendo a Lista de Línguas Extintas.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: