O Grau dos Substantivos

O grau dos substantivos refere-se à forma como essas palavras podem expressar variações em relação à intensidade, tamanho ou qualidade. Existem três graus principais: o grau normal, o aumentativo e o diminutivo.

Grau do Substantivo

O grau normal é utilizado para descrever um substantivo em sua forma padrão, sem qualquer comparação. É o estado neutro, sem ênfase em comparações com outros elementos. Por exemplo, a palavra “casa” representa o grau normal quando utilizada para se referir a uma residência comum.

Há duas possibilidades de expressar essa diferença entre diversos seres considerando:
a) O aumento ou a diminuição de um ser, relativamente ao seu tamanho normal.
b) A intensidade maior ou menor de uma qualidade.
O primeiro tipo de gradação também pode ser chamado de gradação dimensiva, pois trata da dimensão dos seres e objetos. Por esse motivo, é próprio dos substantivos. O segundo, também conhecido como gradação intensiva, é próprio dos adjetivos, uma vez que caracterizam a gradação da intensidade de uma qualidade. Trataremos de Comparativo e Superlativo quando estudarmos os Adjetivos.

Os Substantivos podem ter o grau expresso de forma analítica ou sintética. A forma mais comum de grau analítico, seja ele aumentativo ou diminutivo, é a adição dos adjetivos “grande” (ou equivalente), aumentativo, e “pequeno” (ou equivalente), diminutivo. Repare nos exemplos:

  1. um nariz (grau normal)
  2. um nariz grande (grau aumentativo)
  3. um nariz pequeno (grau diminutivo)
  4. um homem (grau normal)
  5. um homem enorme (grau aumentativo)
  6. um homem baixo (grau diminutivo)
  7. uma mulher (grau normal)
  8. uma mulher imensa (grau aumentativo)
  9. uma mulher diminuta (grau diminutivo)

A maneira vista acima se vale de processos adjetivais para caracterizar o grau. Em paralelo, há outra forma de representar aumentativo e diminutivo por processos derivacionais, incluindo certas terminações à base das palavras; esse processo derivacional dá origem aos aumentativos e diminutivos sintéticos.

Grau Aumentativo Sintético dos Substantivos

O Grau Aumentativo Sintético dos Substantivos é uma característica gramatical que se manifesta na língua portuguesa por meio da alteração morfológica de palavras, conferindo-lhes uma dimensão maior, ampliada em relação ao seu significado original. Este fenômeno ocorre geralmente através da adição de sufixos específicos aos substantivos, resultando em uma forma aumentativa que denota intensificação ou magnitude.

No português, alguns sufixos são comumente empregados para criar o grau aumentativo sintético, sendo os mais recorrentes “-ão”, “-ona”, “-aço” e “-aça”. Esses sufixos são anexados à raiz do substantivo, proporcionando uma expressão mais robusta e grandiosa da ideia que a palavra original representa. Por exemplo, a palavra “casa” pode transformar-se em “casação” ou “casona”, indicando uma residência de maior porte ou importância.

É relevante destacar que o uso do grau aumentativo sintético não está restrito apenas ao tamanho físico, mas também pode ser empregado para transmitir uma conotação de ênfase, relevância ou mesmo ironia, dependendo do contexto. Assim, enquanto a aplicação do sufixo “-ão” pode indicar um tamanho ampliado, o uso do sufixo “-aço” pode sugerir uma intensificação de características específicas associadas ao substantivo original.

Além disso, é válido mencionar que o grau aumentativo sintético é uma construção linguística que pode variar em sua aceitação e frequência de uso conforme as diferentes regiões lusófonas. A riqueza dessa característica gramatical contribui para a expressividade e flexibilidade da língua portuguesa, permitindo aos falantes uma ampla gama de possibilidades para transmitir nuances e matizes em seus discursos.

Grau Diminutivo Sintético dos Substantivos

O grau diminutivo sintético dos substantivos é uma construção linguística que expressa uma redução no tamanho, na intensidade ou na importância do objeto referido. Esse fenômeno ocorre por meio da aplicação de sufixos específicos à palavra base, criando uma forma diminuída que denota uma versão menor ou mais delicada do substantivo original.

Na língua portuguesa, os sufixos mais comuns para indicar o grau diminutivo são “-inho” e “-zinho” para substantivos masculinos, e “-inha” e “-zinha” para substantivos femininos. Esses sufixos são anexados à raiz da palavra, gerando uma nova forma que implica em uma diminuição do tamanho ou da intensidade do referente.

O uso do grau diminutivo sintético não se limita apenas à redução física, mas também pode expressar uma atitude carinhosa, afetiva ou até mesmo uma certa ironia, dependendo do contexto em que é empregado. Por exemplo, a palavra “casa” pode transformar-se em “casinha”, não apenas denotando um tamanho menor, mas também transmitindo uma ideia de aconchego e proximidade.

Além disso, o grau diminutivo sintético é uma ferramenta valiosa na língua portuguesa para expressar nuances e matizes que enriquecem a comunicação. Ao adicionar esses sufixos, os falantes podem transmitir não apenas informações sobre o tamanho físico, mas também sobre o valor emocional ou social atribuído ao objeto em questão.

Em resumo, o grau diminutivo sintético dos substantivos é uma característica linguística que permite aos falantes da língua portuguesa expressar não apenas redução física, mas também nuances emocionais e sociais, enriquecendo a comunicação e proporcionando uma gama mais ampla de significados.

Em resumo, o grau dos substantivos permite expressar nuances em relação a características específicas, tornando a comunicação mais precisa e detalhada. Seja enfatizando a normalidade, comparando com outros elementos ou destacando a máxima expressão, o uso dos graus dos substantivos enriquece a linguagem e proporciona maior clareza na comunicação.

1 comentário em “O Grau dos Substantivos

Comentários estão fechados.