Páscoa e פסח: Diferenças e proximidades

Essa é uma das épocas mais gostosas do ano, independentemente da sua origem, seja ela Judaica ou Cristã. A época da Páscoa é a que tem comidas mais características: chocolates, doces variados, pratos salgados específicos, etc. É capaz de trazer uma experiência gastronômica muito marcante na vida das pessoas. Pouca gente sabe realmente o que é a Páscoa. Coelhinho da Páscoa, Ovo de Páscoa e comer peixe são tradições cristãs muito recentes. O Coelhinho e o ovo de chocolate são tradições mais comerciais, porém adotados pelo cristianismo (ainda que criticado por algumas alas mais conservadoras). Neste artigo vamos tratar da comparação entre Páscoa e פֶּסַח que é a Páscoa judaica.

Páscoa e פסח: Comentários gerais

Originalmente, a Páscoa é uma festa judaica que foi incorporada pelo cristianismo. No judaísmo, comemora-se essa festa por um motivo bíblico, a saída do povo de Israel do Egito. Como a maioria das festas judaicas פֶּסַח (pêssar) tem a duração de 8 dias. Marca a passagem do inverno para a primavera e tem uma série de regras a serem observadas para que seja estipulado o período dessa festa.

A raiz de פֶּסַח tem a ver com passagem, daí temos o verbo: לִפְסֹחַ (passar por sobre). Provavelmente, a palavra “páscoa” seja uma corruptela da palavra hebraica, numa tentativa de adaptá-la para o grego e, posteriormente, para o latim.

Na versão cristã, o motivo também é bíblico, porém não se baseia na tradição judaica. O fato de a festa cristã coincidir com o período da festa judaica é porque, segundo o cristianismo, Jesus Cristo morreu na época da Páscoa. Assim, muito frequentemente, a festa cristã combina com o período da festa judaica aumente é comemorado em um dia e as comidas e rituais religiosos são diferentes.

Páscoa e פסח: A festa judaica

Em 2018 (5778, no calendário judaico), a festividade de Pêssach será comemorada entre 30/03 e 07/04.

Os judeus acreditam que a Páscoa foi instituída por Deus quando estavam prestes a sair do Egito. Durante muito tempo, os israelitas viveram dentro do território egípcio e, após um longo período de escravidão, saíram em busca da terra prometida, correspondendo aproximadamente ao atual Estado de Israel. Há elementos muito específicos em פסח (pêssar) que tornam essa comemoração muito particular, são eles:

Matsá (מצה)

O pão sem fermento. Uma das ordenanças divinas, comido momentos antes da saída do Egito.

Vinho ou Suco de Uva (יין כשר)

Vinho ou suco de uva produzido sob supervisão de um rabino. Há ritos específicos para o consumo dessa bebida durante a cerimônia.

Hagadá de Pessach (הגדה של פסח)

A “Narrativa de Pessach” é o ponto principal da festividade, pois traz à memória toda a tradição e mantém viva a comunidade judaica.

Água Salgada

Representa as lágrimas daqueles que choraram pela perda de seus filhos durante o cativeiro.

Keará (קערה)

Uma travessa específica em que são colocados os seis itens principais da cerimônia.

Carpás (כרפס) – Cebola ou Batata

A cebola crua (ou a batata cozida), entre outros significados, representa o potencial de crescimento e renascimento da vida.

Betsá (ביצה)

O ovo cozido, completamente duro, representa a fé judaica, pois quanto mais provado (cozido) mais forte se torna.

Zerôa (זרוע)

O pescoço de frango grelhado simboliza o cordeiro pascal trazido ao Templo. Esse item não é comido, serve de memorial

Maror (מרור)

São ervas amargas que simbolizam a escravidão do povo judeu no Egito.

Charôsset (חרוסת)

Maçãs, peras e nozes (trituradas ou raladas), misturadas com um pouco de vinho tinto. A cor e a consistência lembram a argamassa usada no Egito para fabricar tijolos nos tempos de escravidão.

Chazêret (חזרת)

Mais ervas amargas (das enumeradas para o Maror) para serem ingeridas no Corêch (“sanduíche” de ervas amargas no pão sem fermento).

Esses elementos servem para reforçar ainda mais as tradições judaicas e possuem simbolismos muito específicos e muito marcantes na vida do judeu praticante. A comemoração é muito animada e, mesmo que a lembrança morte dos escravizados seja parte do rito, a vida e a esperança são celebrados com músicas e brincadeiras.

Páscoa e פסח: A festa cristã

Em 2018, a Páscoa será comemorada dia 01/04.

Segundo a tradição cristã, Jesus Cristo foi morto no período de Pessach. A morte e a ressurreição de Cristo é o tema central da comemoração cristã. O luto parece ser predominante nas celebrações, mas a esperança e a vida também são festejados.

Contando 40 dias após a Quarta-feira de cinzas (aquela do Carnaval), são feitas as celebrações pascais. Esse período que antecede a Páscoa é chamado Quaresma. Há uma série de ritos preparatórios que antecedem o Domingo pascal. É um momento de introspecção muito forte. A parte melancólica da celebração gira em torno da morte de Cristo, mas há esperança na figura do Cristo ressurreto.

O coelho e os ovos (que não eram de chocolate) representam a longevidade e a fertilidade. Sinos e o Círio pascal se relacionam com a ressurreição do Salvador. O cordeiro pascal judaico é projetado na figura de Jesus e seu sacrifício, aliado à figura do pão e do vinho que, no cristianismo, representam o corpo e sangue de Cristo. A culinária pascal tem a Colomba pascal (um “panetone” diferenciado) e pratos sem carne vermelha, entre outros doces típicos.

Não pretendo encerrar esse assunto, nem poderia. Espero não ter ofendido a ninguém. Não me aprofundei nos simbolismos, pois são assuntos muito sensíveis à fé das pessoas.

Links recomendados:

A origem da Quaresma

Chabad.org

One thought to “Páscoa e פסח: Diferenças e proximidades”

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.