Dicas de Redação: Professores e Alunos

O que normalmente se diz como principal dica é “leia bastante”, mas ler o quê? Outro problema nessa frase é quanto é o “bastante”? Cada vez mais as redações são baseadas em temas da atualidade, como direitos humanos, acessibilidade e economia+política. Pode parecer redundante o terceiro item que mencionei, mas algumas vezes a economia não interfere na política e vice-versa. Apresento aqui algumas dicas de redação voltadas para professores e alunos.

Dicas de Redação: Alunos

Você se interessa pouco ou quase nada por esses assuntos? Sua nota na prova de redação pode ser regular ou baixa. É óbvio que não é bom tirar uma nota regular em redação. Ao tirar uma nota regular, e outro concorrente tirar uma nota alta, ele ficará com a classificação melhor que a sua. Sendo assim, nem pensar em fazer uma redação mais ou menos.

Segunda dica, e é mais óbvia do que se pensa, siga as regras da prova. Um alto número de reprovados em redação se deve ao fato de pessoas que não seguem o que se pede. Está escrito “mínimo 20 linhas e máximo 30”, o que a criatura faz? Escreve 18 linhas em letras grandes. Se estava escrito entre 20 a 30, menos do que 20 ou mais que 30 representa perder pontos ou eliminação. Não fuja do tema proposto. Se mandaram falar sobre uma coisa, nem tente colocar hino de time nem receita de miojo… já fizeram isso…

Normalmente a maioria dos concursos pedem de 25 a 30 linhas. Apenas aumentar a letra não vai dar muito certo. Faça cinco parágrafos com cinco linhas cada, assim, de cara já foram umas 25 linhas sem ficar aumentando muito a letra. Siga essas dicas de redação para não ser reprovado já na formatação do texto.

Dicas de Redação: Divisão dos parágrafos

No primeiro parágrafo, você apresenta o tema solicitado, lembre-se fale de árvores se o tema é mar. Inicie de forma clara sobre o que se pede. Cinco linhas parece muito, mas é pouco espaço para uma introdução bem feita.

Nos três parágrafos do meio dê argumentos ordenados logicamente. Nada de enrolação. Se possível, problematize o tema, mas não muito. Argumente, discuta, exponha suas ideias, prove que você sabe do que está falando.

No último parágrafo você deve terminar o assunto em 5 linhas sem encerrar definitivamente a questão. Evite deixar a impressão que poderia ter escrito mais. Conclua de forma clara, simples, coerente, confirmando o que foi exposto no desenvolvimento. Facilmente se chega a 25, 26 até 27 linhas, só que todo cuidado é pouco para não ultrapassar o limite máximo de linhas.

Se for um assunto que você não domina, ou tem pouca familiaridade, não tenha medo de usar o rascunho para organizar o pensamento. Caso seja algo fácil para você falar sobre, passe direto para a folha de resposta com o cuidado de não errar ortografia, manter a coerência e a limpeza. Cada item mencionado pode e será descontado se não estiver em seu texto.

Isso não é um bilhete para seu namorado, muito menos um tratado de filosofia. A redação é o documento que prova que naquele momento você estava preparado para argumentar sobre um determinado tema, ou seja, isso é coisa séria.

Dicas de Redação: Professores

Alunos e professores sempre travaram uma guerra, mas os alunos sempre tentam superar as expectativas dos mestres. Algumas vezes os choques são realmente proveitosos, alguns alunos testam teorias para mostrar que são melhores que os professores. Quando isso dá errado, o que poderia ser uma simples argumentação sobre “os benefícios ou malefícios do Bolsa Família” torna-se o mais longo e confuso tratado de “psico-filosofia-econômica-sócio-política-amadora-interminável”.

Pode ser óbvio e controverso, mas a redação é mais importante que uma equação de matemática. Conversando com um amigo, ele me disse que a Matemática é a que melhor mostra a capacidade de raciocínio lógico do ser humano. Eu disse e digo novamente, o que melhor mostra a capacidade de raciocínio lógico é a argumentação apresentada na redação.

Uma boa argumentação é capaz de fazer com que algo duvidoso se torne crível. A Matemática é uma boa ferramenta para verificar a capacidade de raciocínio? Sim, mas de certos ângulos, ela pode ser comparada à Redação. Saber preencher as variáveis é tão simples e tão difícil quanto estruturar um texto dissertativo-argumentativo.

Nossa função como professores é mostrar que o seu aluno que só tira 10 em Física, Matemática, Química, etc, tem que tirar 10 em Redação. O fato de ter inventado uma nova interpretação da Teoria das Supercordas não vale de nada se não souber justificar de onde partiram os cálculos e a justificativa de ser a sua teoria melhor que a dos outros.

Além de estimular esses alunos que já têm um futuro em mente, os que “nem sabem o que vão comer no jantar” são os mais necessitados de ter interesse pela matéria. Se for o grupo que “não está nem aí pra hora do Brasil”, neles pode-se despertar o interesse em alguma área nos momentos de leitura para a prova. Se for o grupo que realmente não tem o que comer no jantar, a argumentação é vital para a conquista de um emprego melhor, uma vida diferente da que tem no momento.

Dicas de Redação: Como trabalhar a redação

Não diga: “amanhã vai ter simulado e o tema é Agricultura no Brasil pós-moderno, então leiam bastante”. Os professores de Redação e os de Língua Portuguesa devem trabalhar em conjunto (algumas escolas particulares acham que existe uma diferença tão grande que devem ter dois professores, um para ensinar a língua e outro para ensinar argumentação). Proponho que as leitura comecem em sala e terminem na casa dos alunos.

Por mais aplicada que seja a turma, a maioria dos alunos só lê uma parte do texto. Começar a leitura de um tema familiar aos alunos é uma boa chance de despertar o interesse pela leitura. Se a turma tem um hábito de leitura regular ou baixo, livros/artigos de nível baixo a intermediário são recomendados. Utilize as matérias populares de jornais como introdução às discussões. Conteúdos mais densos, que envolvem maior carga de conhecimento, também são uma boa proposta a depender do desenvolvimento da turma.

O parágrafo anterior é melhor para escolas públicas, não que as particulares não se importem com a capacidade argumentativa de seus alunos, mas a particular tende a voltar os estudos para ENEM, ITA, UERJ, USP, FUVEST, UNICAMP. Dessa maneira, as provas de redação são voltadas para essas grandes universidades, nos cursinhos então o foco é maior ainda quanto ao tipo de redação que o STJ costuma aplicar, qual tipo de tema vem aparecendo na prova dos Correios etc. São dicas de redação muito específicas.

Começar uma discussão e terminá-la no papel pode ser melhor do que simplesmente pedir que leiam sobre um dado assunto e no final escrevam um texto de 25 a 30 linhas sobre o que entenderam do assunto. Se houver a possibilidade, e não só a obrigatoriedade, de falar dos clássicos que costumam circular nos principais vestibulares/concursos pode trazer novas discussões sobre o assunto.

Use provas de concursos.não há um “gabarito” para esse tipo de matéria. Mostre que seu aluno poderia ter passado numa prova de redação dos fuzileiros ou da Petrobras. Deixe claro que argumentação não depende de prova/concurso. Se for identificada dificuldade de expor a opinião, exercícios curtos são melhores que dezenas de redações inúteis.

Mostre que a sua matéria está relacionada a tudo que envolve a vida. Ortografia é importante, mas é o texto inteiro que define se o aluno sabe ou não dissertar sobre um tema. Escrever “tambem” não pode tirar 60% da nota, isso deve ser corrigido nas aulas de Língua Portuguesa.

Se você, professor, tem alguma dica sobre os processos de produção textual em sala de aula e gostaria de compartilhar, basta comentar aqui ou na página Gramática e Cognição.

Ver também

Denotação ou Conotação?

Vírgula: principais usos e regras

Redação: Como obter uma boa nota

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: