Advérbios: formas e usos

Advérbios são como os Adjetivos, são palavras modificadoras. A maioria dos advérbios modificam o Verbo, mas não todos. Expressam diversas circunstâncias adicionando significação à ação principal. Há advérbios que expressam a intensidade com a qual foi feita determinada ação, outros descrevem o modo como ocorreu um certo acontecimento etc. Veremos a seguir como são e quais são os principais advérbios em português.

Os Advérbios e seus principais usos

A origem do nome vem de “ad (junto) + verbo”. Sua função básica é modificar o verbo ao qual se liga. Há casos que pode também prender-se a adjetivos, ou a outros advérbios, para indicar-lhes o grau: muito belo (= belíssimo), vender muito barato (= baratíssimo). Há, aqueles que não acompanham verbos, mas somente a adjetivos e advérbios — tais como “tão”, “quão” e “que” em frases do tipo:

  • Nunca vi olhos tão lindos!
  • Quão bela estás!
  • Que brilhante exame fez você!
  • Porque chegaste tão cedo?
  • Quão nobremente procedeste!

Muito cuidado com o Advérbio de Intensidade QUE. Sua forma é igual à dos pronome relativo e da conjunção integrante. Não é raro o advérbio QUE aparecer sozinho. Com entonação especial, pode-se dispensar a presença de qualquer adjetivo. O QUE basta para a ideia global qualificativa e intensificadora:

  • “Que coisa linda que é o meu amor”
  • “Que tiro foi esse que tá um  arraso?!”
  • Que lua maravilhosa!
  • Que lua, meu Deus!
  • Que coração puro tem aquele sacerdote!
  • Que coração o daquele sacerdote!

CLASSIFICAÇÃO DOS ADVÉRBIOS

Distribuem-se os advérbios pelas seguintes espécies:

1. DE DÚVIDA

talvez, quiçá, acaso, porventura, provavelmente, eventualmente, etc.

  • “Talvez o mundo não seja apenas um arco-íris”
  • “Quiçá eu hei de ouvir um dia a voz,/ que não se cansa em me chamar.”
  • “Acaso lembra-se dela?”
  • “Retire as escamas que porventura permanecerem nos filés e coloque cada um com a pele para baixo”
  • “Gostar é provavelmente a melhor maneira de ter, ter deve ser a pior maneira de gostar.” – José Saramago
  • “a oposição, afirma, verá se consegue organizar mais protestos em massa, eventualmente uma greve geral.”

2. DE INTENSIDADE

muito, pouco, assaz, bastante, demais, excessivamente, demasiadamente, etc.

  • Muita gente precisa de ajuda.
  • Pouco carboidrato ajuda a emagrecer.
  • “O procedimento é assaz simples.”
  • Temos bastantes problemas.
  • Ele é chato demais.
  • Gasta-se excessivamente com produtos de uso imediato.
  • Falar demasiadamente pode causar má impressão.

3. DE LUGAR

abaixo, acima, além, aí, ali, aqui,
cá, dentro, lá, avante, atrás, fora, longe, perto, etc.

  • O resultado ficou abaixo do esperado.
  • Minha nota ficou acima da média.
  • “Além do horizonte existe um lugar / Bonito e tranquilo pra gente se amar”
  • Fica aí!
  • Vou ali e já volto.
  • As aves que aqui gorjeiam não gorjeiam como lá
  • Venha cá!
  • Dentro da minha barriga tem um buraco negro.
  • Devemos fazer de tudo para levar avante estes projetos.
  • Atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu.
  • “A verdade está lá fora.”
  • “É fácil amar os que estão longe. Mas nem sempre é fácil amar os que vivem ao nosso lado.” – Madre Teresa de Calcutá
  • “O amor está mais perto do ódio do que a gente geralmente supõe.” – Érico Veríssimo

4. DE MODO

bem, mal, assim, adrede, etc.

  • Ela canta bem.
  • Se sente mal?
  • “Ela fugia com os olhos, ou falava áspero” (= asperamente)
  • Faça o serviço assim.
  • João, adrede viajou para América. (= intencionalmente)

Note-se que muitos adjetivos são usados no lugar de advérbios sem a necessidade do sufixo “mente”.

* Mau ≠ Mal: Mau é o adjetivo, contrário de “bom”; Mal é o advérbio, contrário de “bem”.

5. DE TEMPO

ainda, agora, amanhã, ontem, logo,
já, tarde, cedo, outrora, então, antes,
depois, imediatamente, anteriormente, diariamente, etc.

  • Ainda não saímos de casa.
  • Agora não é hora para isso.
  • Amanhã jantaremos frango.
  • Ontem fez bastante sol.
  • Logo estaremos em casa.
  • Já é tarde da noite.
  • Mais cedo falei com ela.
  • Os tempos de outrora eram melhores do que os de hoje.
  • Jejuaram por toda a noite, então, pela manhã, comeram ovos cozidos.
  • Tome este remédio antes das refeições e esse outro depois das 15:00.
  • Saia daqui imediatamente.
  • Isso já foi dito anteriormente.
  • Escovo os dentes diariamente.

LOCUÇÃO ADVERBIAL

Duas ou mais palavras que funcionem como um advérbio constituem uma locução adverbial:

às vezes, às cegas, às claras, às escondidas, às pressas, às tontas,
de propósito, de frente, de repente, em mão, por atacado, por milagre, etc.

  • Tento não me atrasar, às vezes consigo.
  • Fiquei às cegas sem o resumo do livro
  • Vamos deixar tudo às claras com esta conversa.
  • Não suporto quem faz tudo às escondidas.
  • Resolveram tudo às pressas.
  • Ele caminhava às tontas pela rua.
  • Marquei o comentário de propósito.
  • O carro deu de frente com a blitz.
  • O vilão saiu do arbusto de repente.
  • Entregue o pacote em mão.
  • Fiz a obra do banheiro, por atacado, cozinha e sala também.
  • Ela foi salva por milagre.

ADVÉRBIOS RELATIVOS

onde, quando, como
(empregados com antecedente, em orações adjetivas)

  • Fica ali a encruzilhada/ onde ergueram uma cruz de pedra.
  • Era no tempo/quando os bichos falavam…
  • Merece elogios o modo/como tratas os mais velhos.

ADVÉRBIOS INTERROGATIVOS

São as palavras “onde”, “quando”, “como” e “por que” nas perguntas diretas e nas indiretas.

LUGAR

  • Onde você mora?
  • Não sei onde ela guardou os livros.

TEMPO

  • Quando cai o pagamento?
  • Ele perguntou quando haverá mais trabalho para ser feito.

MODO

  • Como devo proceder agora?
  • Quero saber como vamos sair daqui.

CAUSA

  • Por que ele foi promovido?
  • Deveríamos saber por que ele se foi.

GRAUS DOS ADVÉRBIOS

Os Advérbios de Modo, principalmente, são bastante suscetíveis a gradação. Podem ser utilizados: no comparativo (de superioridade, de inferioridade, de igualdade) e no superlativo (relativo, ou absoluto). A explicação dada pela tradição é que o Advérbio de Modo (ou de qualidade) se relaciona com o verbo assim como o adjetivo o faz com o substantivo.

  • Proceder mais nobremente do que um rei.
  • Esgotaram-se os recursos menos rapidamente do que esperávamos.
  • Falar tão eloquentemente como Cícero.
  • Cumprir muito fielmente (ou fidelissimamente) os compromissos.

Para a expressão do superlativo relativo usa-se a fórmula: o mais (ou o menos)… possível:

  • Cumprir o mais fielmente possível os compromissos.

Também a forma do diminutivo pode aplicar-se, com o valor de superlativo absoluto, a certos advérbios de lugar e de tempo:

  • Morava pertinho de nós.
  • Viajaremos cedinho.

Ver também

Adjunto Adverbial

Adjunto Adnominal

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.