Ministra Damares fez uma metáfora?

Recentemente, Damares Alves, ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, foi filmada dizendo “Atenção, atenção! É uma nova era no Brasil. Menino veste azul e menina veste rosa!” Depois de uma repercussão negativa nas redes sociais, ela disse que fez uma metáfora. Então eu pergunto: A ministra Damares fez uma metáfora?

Quando o assunto é orientação sexual, não tenho muita propriedade para falar, não sou psicólogo. Quando questionam gênero, não tenho muito a dizer, não sou biólogo. Este caso tem a ver com a minha área de pesquisa, então vamos analisar algumas coisas.

O que é Metáfora?

Por definição, Metáfora é:

Figura de linguagem que consiste em estabelecer uma analogia de significados entre duas palavras ou expressões, empregando uma pela outra (p.ex.: asas da imaginação). – Aulete Digital

Ou seja, utilizar uma palavra no lugar de outra com a mesma significação. Esse assunto já foi tratado aqui nos artigos Domínios Conceptuais e Metáfora e Mesclagem Conceptual. Uma metáfora é dizer: “aquele cachorro do meu marido”, “minha filha é um adorável monstrinho” e “estamos em janeiro” (sim, isso é uma metáfora, pois o mês não é um contêiner… mas isso fica para outro dia).

A Ministra Damares Fez uma Metáfora?

Fiz uma metáfora contra a ideologia de gênero, mas meninos e meninas podem vestir azul, rosa, colorido, enfim, da forma que se sentirem melhores”, disse a ministra ao jornal O Estado de S. Paulo.

No meu artigo sobre Discurso Irônico, ressalto que há muitas pessoas que fazem “piadinhas”, “brincadeiras” e não fica clara a sua real intenção. No texto escrito, são observadas ofensas e elogios a coisas abomináveis. Como ter a certeza? Como saber se um “elogio” foi realmente um elogio?

Do ponto de vista linguístico, aí eu posso debater, não acredito que a ministra Damares fez uma metáfora na ocasião de sua posse. Notem que na sua fala não há uma palavra sendo empregada no lugar de outra. Não consigo ver elementos que mostrem alguma mesclagem conceptual diferente, apenas uma constatação.

Na verdade, vejo que ela atribui o frame “azul” ao input “menino”, e o frame “rosa” ao input “menina”. Reparem que nesses frames podem estar inseridos os dois inputs por default. Vejo que a fala da ministra parece, sim, restringir a quantidade de frames referentes a cor que podem ser aplicados, ou melhor, acessados por cada input.

(papo de duas horas sobre o assunto)

Pode ser que ela fez uma ironia, já que a ministra é abertamente contra a “ideologia de gênero” (expressão utilizada por grupos contrários à noção de que gênero sexual é uma construção social, e que o gênero está atrelado ao sexo biológico da pessoa).

Posso estar enganado a respeito da metáfora? Sim. Sou o dono da verdade? Não. Caso eu esteja enganado e você quer debater, de boa, aqui ou nas minhas redes sociais, vamos conversar se a ministra Damares fez uma metáfora ou não.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: