You’re Welcome – Moana (Comparações)

Este artigo trata da música “You’re welcome”, cantada pelo personagem Maui do filme Moana (“Vaiana” em Portugal, “Moana: Um Mar de Aventuras”, no Brasil). Eu poderia falar apenas da tradução, porém todo filme dublado no Brasil é adaptado para o português brasileiro, nunca traduzido.
Por questões características da dublagem, tudo deve ser adaptado, seja para que as palavras portuguesas se encaixem nos movimentos dos lábios (“thank you” para “obrigado”, em vez de “obrigada”, como a Moana deveria replicar) ou no que aparece na cena (vide o que digo sobre o processo de criação do coqueiro), supressão de palavras que quebrariam o ritmo da fala em português (como é o caso da palavra “kid” que não aparece na versão brasileira), entre outras necessidades de adaptação.

Vamos às comparações entre a letra original e a versão brasileira oficial. As letras completas e os respectivos vídeos estão no final deste artigo.

Primeira estrofe

“Okay, okay
I see what’s happening, yeah
You’re face-to-face with greatness and it’s strange
You don’t even know how you feel, It’s adorable!
Well it’s nice to see that humans never change
Open your eyes, let’s begin
Yes it’s really me, It’s Maui! Breathe it in
I know it’s a lot, the hair, the body!
When you’re staring at a demigod”

“Ok, ok
Vou te explicar, já saquei
Minha magnitude pode constranger
Você tá chocada, eu sei. É adorável!
Os humanos nunca vão surpreender
Vem com o papai, cola em mim
Pode botar fé, sou Maui, pode crer
Alguém como eu jamais nasceu
Tá olhando para um semideus”

Ele diz que entendeu todo embaraço da garota, pois ela está “face-to-face” (cara a cara) com toda a grandeza dele. Ele acha adorável esse jeito dos humanos. Até esse ponto, ambas as versões são próximas, mas a partir desse ponto uma letra vai para um lado e outra vai para o outro.

No original, o semideus acha legal o fato de os humanos nunca mudarem. Ele diz: “abra os olhos, vamos começar”. Fica bem claro que o ator diz “bod” (não body) para rimar com “demigod”.

Na versão brasileira, o comentário é mais esnobe e depreciativo. As palavras “papai” e “mim” foram inseridas para rimar com “eye” e “begin”, respectivamente. O termo “Breathe it in” poderia ser entendido como “respire fundo”, como fazemos antes de mergulhar, na falta de expressão melhor, “pode crer” parece atender ao significado original. Os últimos dois versos dessa estrofe rimam “nasceu” com “semideus”, mas isso provocou uma série de mudanças nas palavras para que essa harmonia pudesse estar presente.

Estribilho 1

“What can I say except: You’re welcome!
For the tides, the sun, the sky
Hey, it’s okay, it’s okay, you’re welcome
I’m just an ordinary demi-guy!”

“Vou te dizer então: De nada!
Pelo mar, o sol, o ar
Eu arrasei, eu já sei, De nada
Sou só o semicara do lugar”

Essa é uma das partes que mais sofreram adaptações. “O que eu posso dizer além de ‘de nada’?” seria algo mais literal, porém muito diferente das métricas exigidas pela melodia da música. A palavra “tide” vai ser traduzida como “mar” para atender aos propósitos musicais, “maré” destoaria muito. Literalmente, “sky” é “céu”, mas a produção optou por “ar”. Essas alterações não mudam completamente os significados, pois todas as palavras utilizadas estão dentro do campo semântico da versão original.

Os dois últimos versos são especiais. O terceiro verso, no original, é muito pobre, se comparado com o da versão brasileira. A versão dublada reforça ainda mais o caráter exibicionista de Maui. O quarto verso também não é uma tradução literal, mas mantém relação com a versão original.


Segunda estrofe

“Hey, what has two thumbs and pulled up the sky
When you were waddling ye high? This guy!
When the nights got cold
Who stole you fire from down below?
You’re looking at him, yo!
Oh, also I lassoed the sun, you’re welcome
To stretch your days and bring you fun
Also, I harnessed the breeze
You’re welcome, to fill your sails and shake your trees”

“Hey, quem levantou o céu sem suar?
Você tinha essa altura— Ta-Da
Quando esfriou, quem trouxe o fogo e deslumbrou?
O cara é um show
Oh! Fisguei o sol num puxão, de nada!
E agora a gente tem verão
O vento eu domei como eu quis, de nada!
Pro povo velejar feliz”

Vemos que “sky” foi adaptado para “suar” sem qualquer relação semântica, mas toda a estrutura do verso atendeu à métrica exigida pela melodia. O mesmo ocorreu com “This guy!”, substituído por “Ta-Da!”. Quando ele diz “To stretch your days and bring you fun”, a tradução literal seria “para esticar seus dias e te trazer diversão”. A substituição por “E agora a gente tem verão” possibilita a manutenção da intenção e a melodia. Em resumo, toda essa estrofe foi adaptada sem grandes prejuízos de sentido.

Estribilho 2

“So what can I say except you’re welcome?
For the islands I pulled from the sea
There’s no need to pray, it’s okay, you’re welcome
I guess it’s just my way of being me
You’re welcome, you’re welcome”

“Pelas ilhas do mar que eu ergui
E eu arrasei, eu já sei, de nada!
Eu sei que sou demais, pode aplaudir
De nada, de nada!”

Mais uma adaptação que manteve a intenção original sem tradução literal das palavras. Chamo a atenção para o verso “I guess it’s just my way of being me”, cuja tradução seria “Eu acho que esse é apenas o meu jeito de ser eu”, mas não se encaixa em nenhum dos critérios já apresentados. A saída encontrada foi “Eu sei que sou demais, pode aplaudir”, essa frase se encaixa em todos os critérios.

Terceira estrofe

“Well, come to think of it
Kid, honestly I can go on and on
I can explain every natural phenomenon
The tide, the grass, the ground
Oh, that was Maui just messing around
I killed an eel, I buried its guts
Sprouted a tree, now you’ve got coconuts
What’s the lesson? What is the takeaway?
Don’t mess with Maui when he’s on the breakaway
And the tapestry here in my skin
Is a map of the victories I win
Look where I’ve been I make everything happen
Look at that mean mini Maui just tippity tappin’
Ha, ha, ha, ha, ha, ha, Hey!”

“Mas não tem nada a ver
Não, nem vou gastar o meu fôlego pra te explicar tudo, o quanto é fenômeno
O mar, a mata, o chão
Ah, foi só Maui chamando a atenção
Mando uma enguia bem fundo no chão
Broto um coqueiro, olha o coco na mão
Maui disse como é que tem que ser
As minhas férias ninguém deve interromper
E essa obra de arte aqui
São as lutas que um dia eu venci
Eu sou o tal, sempre estou no comando
Olha só, o mini Maui tá sapateando
Ha, ha, ha, ha, ha, ha, Hey!”

Melodia e ritmo agora castigaram o compositor da versão brasileira. Novamente a tradução literal para o português fica prejudicada, mas as imagens ajudam a compor uma estrofe que pode ser cantada. Ao mostrar todas essa “criações”, Maui chama para si a responsabilidade de ter criado todas essas maravilhas.


Final

“Well anyway, let me say you’re welcome!
For the wonderful world you know
Hey, it’s okay, it’s okay you’re welcome!
Well, come to think of it, I gotta go
Hey, it’s your day to say you’re welcome!
‘Cause I’m gonna need that boat
I’m sailing away, away, you’re welcome!
‘Cause Maui can do anything but float
You’re welcome, you’re welcome

And thank you!”

“Já te falei, sou o rei, de nada
Fiz o mundo e foi só um favor
Eu arrasei, eu já sei, de nada!
Mas tô na minha hora e eu já vou
Pode dizer, meu bem, de nada!
Pelo barco que emprestou
Eu vou bem além, além, de nada
Sou Maui mas não sou bom nadador
De nada, de nada!

Brigado!”

Tudo colorido, música alta, Maui entrega isso, aquilo, leva pra lá, leva pra cá… Não dá pra se concentrar na letra e perceber que ele já está se despedindo e dizendo que vai ficar com o seu barco, mas você pode ficar feliz com isso. Quando a protagonista se dá conta, ele já está fechando a porta da caverna prendendo-a para sair da ilha.

Quero chamar a atenção para algumas adaptações feitas nessa parte da música. O termo “’cause” é empregado nas músicas como contração de “because” (porque). O verso “‘Cause Maui can do anything but float” apresenta uma construção frasal muito estranha para o português, seria algo tipo:”porque Maui pode fazer qualquer coisa, mas flutuar”. Nessa frase, o “but” serve de marcador de contraste entre tudo o que está antes e o que está depois dele. Se pode fazer qualquer coisa, não pode flutuar! Temos então um problema, flutuar no ar ou no mar? A versão brasileira optou pelo mar, quando diz: “Sou Maui mas não sou bom nadador”. Esse verso atende às principais exigências da dublagem, mas também mostra as limitações de Maui, “o semi-demi-mini-deus”, como o Tamatoa o chama. Detalhe para o “Brigado!” utilizado, “And Thank You!” possui três sílabas, assim, “obrigado” iria aumentar a quantidade de sílabas na frase melódica.

Resumo da ópera

Eu prefiro a versão brasileira por ser mais rica em vocabulário, em certos momentos. Ela trabalha muito com o que é visto na tela. As palavras utilizadas não diferem muito do produto original. Dou os parabéns para os compositores que fizeram um trabalho tão bom.



Este artigo ficou bem grande, mas se chegaram até aqui, é sinal de que gostaram. Fiquem agora com as letras e os vídeos originais de cada versão.

You’re Welcome (Original)

por Dwayne Johnson (The Rock)

Okay, okay
I see what’s happening, yeah
You’re face-to-face with greatness and it’s strange
You don’t even know how you feel, It’s adorable!
Well it’s nice to see that humans never change
Open your eyes, let’s begin
Yes it’s really me, It’s Maui! Breathe it in
I know it’s a lot, the hair, the body!
When you’re staring at a demigod

What can I say except: You’re welcome!
For the tides, the sun, the sky
Hey, it’s okay, it’s okay, you’re welcome
I’m just an ordinary demi-guy!

Hey, what has two thumbs and pulled up the sky
When you were waddling ye high? This guy!
When the nights got cold
Who stole you fire from down below?
You’re looking at him, yo!
Oh, also I lassoed the sun, you’re welcome
To stretch your days and bring you fun
Also, I harnessed the breeze
You’re welcome, to fill your sails and shake your trees

So what can I say except you’re welcome?
For the islands I pulled from the sea
There’s no need to pray, it’s okay, you’re welcome
I guess it’s just my way of being me
You’re welcome, you’re welcome

Well, come to think of it

Kid, honestly I can go on and on
I can explain every natural phenomenon
The tide, the grass, the ground
Oh, that was Maui just messing around
I killed an eel, I buried its guts
Sprouted a tree, now you’ve got coconuts
What’s the lesson? What is the takeaway?
Don’t mess with Maui when he’s on the breakaway
And the tapestry here in my skin
Is a map of the victories I win
Look where I’ve been I make everything happen
Look at that mean mini Maui just tippity tappin’
Ha, ha, ha, ha, ha, ha, Hey!

Well anyway, let me say you’re welcome!
For the wonderful world you know
Hey, it’s okay, it’s okay you’re welcome!
Well, come to think of it, I gotta go

Hey, it’s your day to say you’re welcome!
‘Cause I’m gonna need that boat
I’m sailing away, away, you’re welcome!
‘Cause Maui can do anything but float
You’re welcome, you’re welcome

And thank you!

 




 

De nada (Versão brasileira)

por Saulo Vasconcellos

Ok, ok
Vou te explicar, já saquei
Minha magnitude pode constranger
Você tá chocada, eu sei. É adorável!
Os humanos nunca vão surpreender
Vem com o papai, cola em mim
Pode botar fé, sou Maui, pode crer
Alguém como eu jamais nasceu
Tá olhando para um semideus

Vou te dizer então: De nada!
Pelo mar, o sol, o ar
Eu arrasei, eu já sei, De nada
Sou só o semicara do lugar

Hey, quem levantou o céu sem suar?
Você tinha essa altura— Ta-Da
Quando esfriou, quem trouxe o fogo e deslumbrou?
O cara é um show
Oh! Fisguei o sol num puxão, de nada!
E agora a gente tem verão
O vento eu domei como eu quis, de nada!
Pro povo velejar feliz

Só falta eu dizer então de nada
Pelas ilhas do mar que eu ergui
E eu arrasei, eu já sei, de nada!
Eu sei que sou demais, pode aplaudir
De nada, de nada!

Mas não tem nada a ver

Não, nem vou gastar o meu fôlego pra te explicar tudo quanto é fenômeno
O mar, a mata, o chão
Ah, foi só Maui chamando a atenção
Mando uma enguia bem fundo no chão
Broto um coqueiro, olha o coco na mão
Maui disse como é que tem que ser
As minhas férias ninguém deve interromper
E essa obra de arte aqui
São as lutas que um dia eu venci
Eu sou o tal, sempre estou no comando
Olha só, o mini Maui tá sapateando
Ha, ha, ha, ha, ha, ha, Hey!

Já te falei, sou o rei, de nada
Fiz o mundo e foi só um favor
Eu arrasei, eu já sei, de nada!
Mas tô na minha hora e eu já vou
Pode dizer, meu bem, de nada!
Pelo barco que emprestou
Eu vou bem além, além, de nada
Sou Maui mas não sou bom nadador
De nada, de nada!

Brigado!

 



Deixe uma resposta