Pronomes

Essa classe de palavras é muito versátil. Said Ali disse: “Pronome é a palavra que denota o ente ou a ele se refere, considerando-o apenas como pessoa do discurso.” Os pronomes geralmente se referem às Pessoas do Discurso, o indivíduo que fala, o indivíduo com quem se fala e o indivíduo ou a coisa de que se fala. Os pronomes não possuem conteúdo semântico propriamente dito, têm significação essencialmente ocasional. É o conjunto da situação que confere significação à essas palavras.

PRONOMES: CONCEITOS GERAIS

Pronomes são palavras, geralmente invariáveis, que remetem a um ser, abstrato ou concreto. Exercem função sintática nas frases as quais se referem. Por exemplo:

  • Eu – Refere-se à pessoa que fala;
  • Meu – Refere-se àquilo que pertence à pessoa que fala;
  • Este – Refere-se à proximidade em relação à pessoa que fala, etc.

Os pronomes podem ser classificados em seis grandes grupos: pessoais, demonstrativos, relativos, possessivos, indefinidos, interrogativos.

A seguir, veremos alguns conceitos sobre cada um desses grandes grupos.

PRONOMES PESSOAIS

Pronomes pessoais, também chamados Pessoas Gramaticais, são palavras que representam as três pessoas do discurso, indicando-as simplesmente, sem nomeá-las. A primeira pessoa, aquela que fala, chama-se Eu, a segunda, Tu, a terceira é a pessoa ou coisa de que se fala, é Ele ou Ela, com os respectivos plurais, Eles ou Elas. Nós e Vós são considerados plurais de Eu e Tu, respectivamente, mas são, na verdade, Pessoas Estendidas.

Nós não é plural de Eu, mas a concepção de Eu+Tu+Ele/Ela; semelhante ao que acontece com Vós, que é a concepção de Tu+Ele/Ela; diferente do que ocorre com Eles/Elas em relação a Ele/Ela, pois temos uma clara flexão de número.

Pronome Reto e Pronome Oblíquo

Pronomes Retos são aqueles que desempenham função sintática de Sujeito, não são acompanhados de preposição, salvo Ele/Ela.

1ª Pessoa Gramatical:

  • Eu

2ª Pessoa Gramatical:

  • Tu

3ª Pessoa Gramatical:

  • Ele/Ela

4ª Pessoa Gramatical:

  • Nós

5ª Pessoa Gramatical:

  • Vós

6ª Pessoa Gramatical:

  • Eles/Elas

Exemplos:

  • Eu falei com ele.
  • Nós saímos com ela.
  • Ela reclamou dele.

Pronomes Oblíquos são aqueles que desempenham função sintática de Objeto Direto ou Objeto Indireto. Possuem formas átonas e tônicas. As formas átonas são palavras sem tonicidade colocadas antes ou depois do verbo, com ou sem hífen, como se fossem uma sílaba a mais desse verbo; as formas tônicas são sempre regidas de preposição. São os seguintes esses pronomes:

1ª Pessoa:

  • singular: me (forma átona); mim (forma tônica)
  • plural: nos (forma átona); nós (forma tônica)

2ª Pessoa:

  • singular: te (forma átona); ti (forma tônica)
  • plural: vos (forma átona); vós (forma tônica)

3ª Pessoa:

  • singular: o, a , lhe, se (formas átonas); ele, ela, si (formas tônicas)
  • plural: os, as, lhes, se (formas átonas); eles, elas, si (formas tônicas)

As formas o, a, os, as empregam-se em substituição a um substantivo que, sem vir precedido de preposição, completa o regime de um verbo. Exemplo: Vi o menino = Vi-o; Não escrevi as cartas = Não as escrevi.

As formas lhe, lhes representam substantivos regidos das preposições a ou para. Estes são os reais Objetos Indiretos, diferente dos Complementos Relativos.

  • Dei o livro ao menino = Dei-lhe o livro;
  • Os reis magos levaram ouro, incenso e mirra para Jesus = Os reis magos levaram-lhe ouro, incenso e mirra.

As formas se e si são reflexivas porque só se podem usar em relação ao próprio sujeito do verbo.

  • O capitalista matou-se.
  • Os empregados se despediram.
  • Ela é muito egoísta: só pensa em si.
  • Tratem de si e não dos outros.

Há, ainda, cinco formas que, combinadas com a preposição com, se apresentam cada uma num vocábulo único. São:

  • “com+me” = comigo
  • “com+te” = contigo
  • “com+si” = consigo
  • “com+nos” = conosco
  • “com+vos” = convosco

Note-se que, como o si, o pronome consigo é exclusivamente reflexivo:

  • Levou consigo quanto era seu.
  • O advogado nada trouxe consigo.

Os pronomes de tratamento também fazem parte dessa categoria:

  • você, vocês (tratamento familiar)
  • o Senhor, a Senhora (tratamento cerimonioso)
  • Vossa Senhoria (para os funcionários públicos graduados)
  • Vossa Excelência (para altas autoridades)
  • Vossa Alteza (para os príncipes)
  • Vossa Majestade (para os reis)
  • Vossa Santidade (para o Papa)
  • Vossa Eminência (para os cardeais)
  • Vossa Reverendíssima (para os sacerdotes em geral)
  • Vossa Magnificência (para o reitor da Universidade)

PRONOMES POSSESSIVOS

Pronomes possessivos fazem referência às pessoas do discurso, apresentando-as como possuidoras de algo. Tais palavras mantêm alguma relação com os Pessoais porque sua significação está relacionada às pessoas do discurso. São eles:

1ª Pessoa:

  • singular: meu, minha, meus, minhas
  • plural: nosso, nossa, nossos, nossas

2ª Pessoa:

  • singular: teu, tua, teus, tuas
  • plural: vosso, vossa, vossos, vossas

3ª Pessoa:

  • singular e plural: seu, sua, seus, suas

Informalmente, os pronomes demonstrativos de 3ª pessoa são utilizados no lugar dos pronomes de 2ª pessoa, isso ocorre principalmente no Brasil.

PRONOMES DEMONSTRATIVOS

Estas são palavras que assinalam a posição dos objetos designados, tomando como ponto de referência a posição dos participantes da interação discursiva.

  • Perto de quem fala: Este, Esta, Isto.
  • Perto de quem ouve: Esse, Essa, Isso.
  • Longe de ambos: Aquele, Aquela, Aquilo

Na fala coloquial, esse tipo de referencial não necessariamente obedece a critérios posicionais rígidos.

Outros tipos de Demonstrativos:

  • mesmo, mesma, mesmos, mesmas
  • próprio, própria, próprios, próprias
  • tal, tais
  • semelhante, semelhantes
  • o, a, os, as

Observação: o, a, os, as são demonstrativos quando equivalem a este, esse, aquele, isto, aquilo, etc.

  • Não compreendo o (= isso) que disseste.
  • Os (= aqueles) que mais protestam, são os (= aqueles) que menos razão têm.

PRONOMES INDEFINIDOS

Estes se aplicam à 3ª pessoa gramatical quando esta tem sentido vago, ou exprimem quantidade indeterminada. Alguns podem ocorrer desacompanhados de substantivo; outros vêm ao lado de um substantivo, concordando em gênero e número.

Porem ser:

1. Referentes a pessoas:

  • quem, alguém, ninguém, outrem

2. Referentes a coisas:

  • que, algo, tudo, nada

3. Referentes a lugares:

  • onde, algures, alhures, nenhures

Também são Pronomes Indefinidos:

  • todo, toda, todos, todas
  • algum, alguma, alguns, algumas
  • vários, várias
  • nenhum, nenhuma, nenhuns, nenhumas
  • certo, certa, certos, certas
  • outro, outra, outros, outras
  • muito, muita, muitos, muitas
  • pouco, pouca, poucos, poucas
  • quanto, quanta, quantos, quantas
  • que, qual, quais
  • um, uma, uns, umas
  • qualquer, quaisquer (invariável em gênero)
  • cada (invariável em gênero e número)

Há expressões pronominais indefinidas:

quem quer que, o que quer, cada um, cada qual, seja o que for, etc.

PRONOMES RELATIVOS

Os pronomes relativos são palavras que reproduzem, numa oração, o sentido de um termo ou da totalidade de uma oração anterior. Eles não têm significação própria; em cada caso representam o seu antecedente. Eis o quadro dos pronomes relativos:

que, quem, quanto, quanta, quantos, quantas;
cujo, cuja, cujos, cujas;
o qual, a qual, os quais, as quais.

Como relativo, quanto refere-se a tudo ou todo:

“Ouvia-a! A sua voz me despertava
Tudo quanto de bom conservo n’alma.” (GONÇALVES DlAS)

PRONOMES RELATIVOS INDEFINIDOS

Assim se chamam os pronomes relativos empregados sem antecedente expresso, em frases como as seguintes:

  • Quem espera sempre alcança.
  • Traiu a quem lhe fora tão fiel.
  • Não teve que objetar.
  • Fez quanto pôde.

Estes relativos, também chamados “condensados”, trazem o antecedente incorporado em si.

  • Quem (aquele que) espera sempre alcança.
  • Traiu a quem (àquele que) lhe fora tão fiel.
  • Não teve que (o que) objetar.
  • Fez quanto (tudo que) pôde.

PRONOMES INTERROGATIVOS

Os pronomes indefinidos “que, quem, qual, quanto” são considerados interrogativos quando são utilizados em uma pergunta.

  • “Quem eram? De que terra? Que buscavam?” (CAMÕES)

Paralelamente a que (= que coisa?), pode-se usar da forma “o que”:

  • Que procuras aqui?
  • O que procuras aqui?

Uma interrogação pode ser feita direta ou indiretamente. Na interrogação direta, a frase terminará por ponto de interrogação; Na interrogação indireta, tem-se um verbo próprio para interrogar, como: perguntar, saber, indagar, etc. Exemplos de interrogação indireta:

  • Indagaram que motivos há para desistir.
  • Perguntaram quem os acompanharia.
  • Quero saber quantos ficarão.

O COMPORTAMENTO DO PRONOME NA ORAÇÃO

Os pronomes podem assumir dois tipos de comportamento:

Substantivos: Comportando-se como verdadeiros substantivos, representam o núcleo de um sujeito, ou de um complemento.

Adjetivos: Vindo sempre referidos a um substantivo (explícito ou oculto), ao qual se subordinam como um adjunto adnominal.

1) São exclusivamente pronomes substantivos:

  • Pessoais (todos)
  • Demonstrativos: isto, isso, aquilo, o (a, os, as)
  • Indefinidos: quem, alguém, ninguém, outrem, tudo, nada, algo
  • Relativos (exceto cujo com suas flexões)
  • Interrogativo “quem”

2) São exclusivamente pronomes adjetivos:

  • Possessivos
  • O relativo cujo (com suas flexões)
  • Os indefinidos “cada” e “certo”

Os demais pronomes podem empregar-se como substantivos, ou adjetivos.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: